Um tapete de mosaicos, o Palácio de Hisham em Jericó

827 metros quadrados. 38 painéis. 1300 anos de história.

Um rebus numérico que descreve apenas em parte a magia e o mistério dos mosaicos do Palácio de Hisham em Jericó.
O chão, o mais extenso do Oriente Médio e um dos mais importantes e vastos do mundo, voltou à luz no final de outubro, depois de ter ficado coberto durante anos sob uma camada protetora de areia.

Deserto da Judeia: aridez irrigada de histórias

Um dos principais cartões postais da Terra Santa, o deserto da Judeia é rico de reservas naturais fascinantes. Caminhar por ele é também fazer um “passeio” pelas paginas da historia da vida de Cristo e do povo de Deus.


Uma paisagem árida, onde a natureza desponta em tons pastel, e o verde perde a força, ao brotar no calor.

Este é o famoso deserto da Judeia, citado nas narrativas bíblicas do novo e antigo testamento e um dos principais cartões postais da Terra Santa.

Haifa: beleza e histórias de fé a norte de Israel

Banhada pelo Mar Mediterrâneo, a moderna cidade de Haifa preserva belezas naturais, uma forte presença da espiritualidade Mariana, alem de narrativas do profeta Elias.


Tão intensa como as cores da natureza é a beleza deste lugar. Ao norte de Israel, a cidade portuaria de Haifa exibe um cenário encantador.

Haifa foi edificada sobre o Monte Carmelo, localizado entre a costa do Mar Mediterraneo e o Vale de Jezrael. Em diversos trechos bíblicos, o monte e seus arredores foram citados por sua beleza e fertilidade.

A pedra do túmulo de Jesus

Depois de 206 anos, os estudiosos e autoridades religiosas puderam ver novamente a pedra onde foi sepultado Jesus.
Quarta-feira, 26 de Outubro, a edícola, a pequena capela que envolve o Santo Sepulcro, foi fechada para as obras históricas. Pela primeira vez desde 1810, a laje de mármore que cobre o local sob o qual encontram os restos da pedra do sepulcro de Jesus, foi removida. O único precedente ocorreu em 1555.
O evento ocorreu a portas fechadas na presença do Patriarca ortodoxo Théophilos III, acompanhado por uma pequena delegação de religiosos e cientistas, da delegação da Custódia da Terra Santa composta pelo Vigário da Custódia, Pe. Dobromir Jasztal, Padre Eugenio Alliata, arqueólogo do Studium Biblicum Franciscanum, Pe. Narciso Klimas, Pe. Enrique Bernejo, Pe. David Grenier e do arquiteto Osama Hamdam da Comissão científica. Estava presente uma delegação de armênios, liderada pelo Bispo Sévan, além dos coptas do Santo Sepulcro.

Pe. EUGENIO ALLIATA, ofm
Studium Biblicum Franciscanum
“As conclusões gerais serão feitas pelos responsáveis, ou seja, pelos responsáveis dos trabalhos, e apresentadas no final dos trabalhos. No entanto, algumas coisas já foram comunicadas e foi possível observá-las, porque foram chamadas testemunhas, sobretudo, para a já famosa abertura da laje superior de mármore que cobre o Santo Sepulcro “.

Reabre O Memorial de Moisés no Monte Nebo

Com um grande evento, em 15 e 16 de outubro, foi reaberto no Monte Nebo o Memorial de Moisés, o amigo de Deus.


Com um grande evento, em 15 e 16 de outubro, foi reaberto o Memorial de Moisés no Monte Nebo, na Jordânia. Após ter ficado fechado ao público durante anos, a praça na entrada do santuário acolheu centenas de convidados para a nova abertura de um dos santuários e sítios arqueológicos mais importantes e visitados do país.