A Catedral Armênia de Jerusalém e os dois mártires de nome Tiago

Ainda hoje é iluminada apenas pela luz do sol e por muitas velas e lamparinas, sem a ajuda da eletricidade. Construída em 1163 durante o reinado da rainha Melisenda, a Catedral de São Tiago é o coração do bairro armênio da cidade antiga de Jerusalém.
Na igreja – de acordo com a tradição armênia – encontram-se relíquias de dois santos distintos de nome Tiago, cujas histórias se encontram neste lugar.
O primeiro é Tiago, o Apóstolo, filho de Zebedeu e irmão de João, um dos quatro primeiros chamados por Jesus nas margens do lago Tiberíades.

Rev. Fr. KORYOUN BAGHDASARYAN
Chanceler do Patriarcado Armênio de Jerusalém
“São Tiago Apóstolo foi o primeiro a ser martirizado, em 44 depois de Cristo, por ordem do rei Herodes Agripa, e depois que foi decapitado, sua cabeça foi sepultada aqui. Aqui nesta pequena capela podemos ver o local onde está sepultada a cabeça de São Tiago Apóstolo.
Porque aqui? Porque aqui era a casa de São Tiago, irmão de Jesus, o Menor, o primeiro Bispo de Jerusalém. A cabeça de São Tiago Apóstolo foi trazida a ele e ele a enterrou em seu jardim.”

Este segundo Tiago é precisamente chamado de “irmão do Senhor”, embora não no sentido literal (ele provavelmente era parente de Jesus). Ele se tornou o primeiro Bispo da Cidade Santa e foi morto na esplanada do templo por volta de 62 dC.

Rev. Fr. KORYOUN BAGHDASARYAN
Chanceler do Patriarcado Armênio de Jerusalém
“Podemos ver um pequeno semicírculo: Ali havia o túmulo de São Tiago, o primeiro Bispo de Jerusalém. Mas na Idade Média suas relíquias foram transferidas para o altar principal da igreja, onde se encontram ainda hoje.”

Bem em frente ao altar, dois tronos: um mais simples em madeira, o outro imponente, em mármore.

Rev. Fr. KORYOUN BAGHDASARYAN
Chanceler do Patriarcado Armênio de Jerusalém
“O mais simples é utilizado pelo Patriarca Armênio de Jerusalém: sempre que vem aqui para participar da liturgia divina ou das vésperas, ele se senta neste trono. O decorado é o trono de São Tiago, o primeiro Bispo de Jerusalém, e ninguém pode sentar-se neste trono.”

Termina a oração. No dia seguinte os fiéis do bairro armênio serão chamados de volta aqui pelo som dessas duas placas – a de ferro pela manhã e a de madeira à noite – colocadas bem no pátio de entrada da Catedral de São Tiago.

Rev. Fr. KORYOUN BAGHDASARYAN
Chanceler do Patriarcado Armênio de Jerusalém
“Ao longo da história, por duas vezes, os cristãos foram proibidos de usar sinos e, dessa maneira, não havia como informar aos fiéis que a oração estava começando. Por isso os armênios começaram a usar essas duas placas.
E até hoje, apesar de tocarmos os sinos, mantivemos essa tradição.”

Produzido por CMC

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial

Visite a nossa loja, veja as promoções, assine,contribua e concorra a uma viagem à Terra Santa,participe! Dispensar